Anúncios

Chamadas de Artigos

21/03/2017

A Revista Diálogos Mediterrânicos recebe contribuições em fluxo contínuo. Verifique as normas de publicação, no menu principal, e envie o seu artigo livre ou resenha.

The Dialogues Mediterranean Journal receives contributions in a continuous flow. Check the publication rules in the main menu and send your article free or review.

La Revista Dialogos Mediterranicos recibe contribuciones de manera contínua. Informaciones de las normas de publicación están en el menú principal. Envie su artículo original o reseña. 

Saiba mais sobre Chamadas de Artigos

Edição Atual

n. 21 (2021): Revista Diálogos Mediterrânicos - Dossiê "O Mundo da Antiguidade Tardia de Peter Brown 50 anos depois"
					Visualizar n. 21 (2021): Revista Diálogos Mediterrânicos - Dossiê "O Mundo da Antiguidade Tardia de Peter Brown 50 anos depois"

Os debates sobre o fim do mundo Antigo e o princípio da Idade Média ganharam particular atenção desde a publicação da monumental obra de Edward Gibbon (1737-1794) The Decline and Fall of the Roman Empire no último quarto do século XVIII. Desde então historiadores antiquistas e medievalistas colocaram em evidência as premissas acerca da paisagem representada desde a fragmentação política do Império Romano no Ocidente e suas implicações sociais até a expansão do cristianismo. No princípio do século XX emergiu entre os historiadores alemães da arte o conceito de Spätantike – Antiguidade Tardia –, pelo qual seus defensores argumentavam que o processo de transição fora, antes de mais, caracterizado pelo “declínio” e “queda” da civilização romana do Ocidente. Contudo, será em 1971 que a pioneira obra de Peter Brown “The world of Late Antiquity” que o conceito ganhará renovado fôlego pela pena dos historiadores da política, cultura e religiões. De acordo com essa nova perspectiva, os padrões clássicos seriam revisitados projetando, sobretudo, as linhas de um novo mundo cerzido na bacia mediterrânica sob a ótica de três civilizações: o Ocidente europeu católico, Bizâncio e o Islã, edificados pela transformação do mundo romano desde suas estruturas sociais, políticas e culturais. Tal postura histórica e historiográfica negava a perspectiva pessimista da historiografia até meados do século XX, época na qual seus prosélitos defendiam ainda a ideia de decadência ou declínio.  A proposta deste dossiê é reunir estudos que reflitam sobre o conceito de Antiguidade Tardia e suas múltiplas implicações na historiografia atual.

Publicado: 04/02/2022

Edição completa

Ver Todas as Edições