Creste, Ouviste, Viste

Autores

  • Thiago David Stadler Universidade Estadual do Paraná;

DOI:

https://doi.org/10.24858/rdm.v0i19.399

Palavras-chave:

Cristianismo, História, Mitologia.

Resumo

Inicio este artigo com um dito popular oriundo da descrença de Tomé, o Apóstolo, diante da aclamada ressureição. Só acredito vendo é uma expressão que auxilia o desenvolvimento de uma exposição sobre os critérios de veracidade auferidos pela mitologia cristã, pela mitologia grega e pela história grega. Por isso a inversão temporal inicial, pois parti do campo comum – a atualidade do dito popular – em direção às discussões sobre o fazer poesia e o fazer história na Antiguidade grega clássica. Os poetas-cantores tinham no ouvido o seu principal instrumento de trabalho, pois as Musas lhe sopravam palavras ora genuínas ora assemelhadas aos fatos. Já os historiadores da Antiguidade tinham a primazia do olhar como crivo de suas narrativas. Tomé, um errante neste mundo, servirá como grande suporte para as discussões em torno da fé, dos ouvidos e dos olhos. Assim, o objetivo deste artigo é indicar os dilemas em torno das distintas modalidades de crença na Antiguidade a partir do modo como as personagens legitimavam os seus discursos.

Biografia do Autor

Thiago David Stadler, Universidade Estadual do Paraná;

Doutor em História. Professor Adjunto C do Colegiado de Filosofia da Universidade Estadual do Paraná, campus de União da Vitória. Professor Permanente do Programa de Mestrado Profissional em Filosofia (PROF-FILO). Professor Colaborador do PPGHIS/UFPR.

Referências

ARIÈS, Philippe. O tempo da História. Trad. Roberto Leal Ferreira. – Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1989.

ARISTÓTELES. Poética.

BÍBLIA DE JERUSALÉM. Antigo e Novo Testamentos. São Paulo: Paulus, 2013.

BRANDÃO, Jacyntho Lins. “As musas ensinam a mentir (Hesíodo, Teogonia, 27-28)” In Ágora. Estudos Clássicos em Debate, 2000, n.2, pp. 07-20.

DETIENNE, Marcel. Os Mestres da Verdade na Grécia Antiga. Trad. Andréa Daher -. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

ELIADE, Mircea. Aspectos do mito. Lisboa: Edições 70, 1963.

FEUERBACH, Ludwig. A essência do cristianismo. Trad. Adriana Veríssimo Serrão. – 4° Ed. – Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2011.

HARTOG, François. Os antigos, o passado e o presente. Trad. Sonia Lacerda, Marcos Veneu, José Otávio Guimarães -. Brasília: Editora UNB, 2003.

HERÓDOTO. História.

HESÍODO. Teogonia.

HOMERO. Odisséia.

HOMERO. Ilíada.

JACOBSEN, Jens Peter. Niels Lyhne. Trad. Pedro Octávio Carneiro da Cunha. São Paulo: Cosac & Naify Edições, 2000.

LE GOFF, Jacques. O Deus da Idade Média. Conversas com Jean-Luc Pouthier. Trad. Marcos de Castro. – 4° Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

LIBÂNIO, J.B. Fé. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

MALTA, André. Homero múltiplo: ensaio sobre a épica grega. São Paulo: Edusp, 2012.

MORAIS, Cynthia. Maravilhas do Mundo Antigo: Heródoto, pai da História? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

PÍNDARO. Neméia.

SANTOS, Fernando Brandão dos. “A sexta neméia de Píndaro” In ALFA, São Paulo, 1986/1987, n.30/31, pp. 107-121.

SLOTERDIJK, Peter. Ira e tempo: ensaio político-psicológico. São Paulo: Estação Liberdade, 2012.

SPINELLI, Miguel. Questões fundamentais da Filosofia Grega. São Paulo: Loyola, 2006.

TEIXEIRA, Felipe Charbel. “Uma construção de fatos e palavras: Cícero e a concepção retórica da história” In VARIA HISTORIA, Belo Horizonte, jul/dez 2008, vol.24, n.40, pp. 551-568.

THOMAS, Rosalind. Letramento e oralidade na Grécia antiga. Trad. Raul Fiker. São Paulo: Odysseus Editora, 2005.

TORRANO, JAA. Ouvir Ver Viver a Canção. In: HESÍODO. Teogonia. São Paulo: Editora Iluminuras LTDA, 1995.

TUCÍDIDES. História da Guerra do Peloponeso.

VASCONCELOS, Pedro Lima. “O Evangelho segundo Tomé e o Jesus histórico: o exemplo da Parábola dos Vinhateiros” In RJHR. Rio de Janeiro, 2008, vol.I, pp.1-17.

VEYNE, Paul. Acreditavam os gregos em seus mitos? Ensaio sobre a imaginação constituinte. Trad. Horácio Gonzáles e Milton Meira Nascimento -. São Paulo: Editora Brasiliense, 1984.

ZIZEK, Slavoy. O amor impiedoso [ou: Sobre a crença]. Trad. Lucas Mello Carvalho Ribeiro -. 2°. Ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

WOORTMANN, Klaas. “O selvagem e a História: Heródoto e a questão do Outro” In Revista de Antropologia, São Paulo, 2000, v.43, n°1, pp.13-59.

Downloads

Publicado

14/12/2020

Como Citar

Stadler, T. D. (2020). Creste, Ouviste, Viste. Revista Diálogos Mediterrânicos, (19), 82–98. https://doi.org/10.24858/rdm.v0i19.399