As Relações Civis Militares na transição espanhola e seus impactos na profissionalização da atividade de inteligência

Autores

  • Priscila Carlos Brandão Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.24858/52

Palavras-chave:

Inteligência, transição, Espanha

Resumo

Este trabalho realiza uma análise do processo de reinstitucionalização do sistema de inteligência na Espanha no período posterior à transição para a democracia, considerado a partir do desafio profissional da construção de um órgão de inteligência legítimo, flexível, capacitado e analiticamente relevante. Algumas questões principais norteiam a discussão: quais impactos foram produzidos pelo processo de redemocratização no país e pelo fim da Guerra Fria, no desempenho da atividade? Como foi implementado o processo de profissionalização dos analistas de inteligência? Quais mecanismos institucionais relevantes foram criados para regular a atividade de inteligência? Os principais parâmetros a serem utilizados no trabalho estarão relacionados às intenções dos atores, ao contexto, e às regras do jogo político. Desta forma, serão analisadas as características organizacionais do sistema nacional de inteligência, à luz dos impactos do processo de transição; as ênfases operacionais (interna/externa, análise/repressão, inteligência/contra-inteligência), bem como os mecanismos de recrutamento, treinamento e perfil de seus oficiais.

Downloads

Publicado

02/12/2012

Como Citar

Brandão, P. C. (2012). As Relações Civis Militares na transição espanhola e seus impactos na profissionalização da atividade de inteligência. Revista Diálogos Mediterrânicos, (3), 77–89. https://doi.org/10.24858/52